Inquérito sobre a morte de Simone é concluído e aponta autor do crime

A Polícia Civil concluiu o inquérito em relação a morte de Simone da Rocha Silveira, 29 anos. O seu corpo foi encontrado boiando no Rio Irani, interior de Xavantina no dia 11 de março.

As investigações confirmaram que ela foi morta pelo ex, Adir Barbosa Martins, de 52 anos. De acordo com relatos de testemunhas, ele perseguia Simone, pois não aceitava o fim do breve relacionamento.

Adir foi encontrado morto na noite do dia 4 de março com um ferimento de espingarda na cabeça, indicando suicídio. Ele era mecânico e, após as autoridades terem encontrado peças de carro amarradas no pescoço de Simone, as suspeitas em relação a Adir se intensificaram.

“O laudo cadavérico apontou que a vítima foi morta por traumatismo craniano causado por instrumento contundente, possivelmente uma barra de ferro e, posteriormente, arremessada no lago. Então ela não morreu afogada, já estava morta quando foi jogada na água. Quanto a autoria, o autor foi o Adir Barbosa Martins, o qual tirou sua vida no dia seguinte. Conseguimos vários indícios e depoimentos de testemunhas que apontaram para ele. Mas como ele morreu, infelizmente essa parte criminal acaba com o envio do inquérito para o Ministério Público – explica o delegado Albino de Souza Araújo, responsável pelo caso.

As investigações apontaram que Adir furtou o cachorro de Simone e posteriormente marcou um encontro com ela para devolver o animal.

” Veio a historia de que teria sumido o cachorro da Simone e, então, nós solicitamos que o IGP fizesse uma pericia com uma tecnologia que dispõe, e foram encontradas no interior da caminhonete manchas de sangue, que haviam sido lavadas, e pelos de cão compatíveis com o pelo da cachorra. A vítima tinha a cachorrinha como filha e ele sabia disso. Um dia antes do desaparecimento dela a cachorrinha sumiu, ela procurou e desconfiou que pudesse ter sido ele e comentou com uma amiga íntima isso. No dia seguinte, ela desapareceu. Foi comprovado que ela atendeu um chamado dele 12h08min e, antes de sair, mandou uma mensagem pra ela mesma, ela tinha dois aparelhos, mandou do que estava usando para o que deixou em casa, que estava indo encontrar o Adir. Então nossa linha de raciocínio é que ele conseguiu furtar a cachorra e chantageou ela – afirma o delegado.

Adir foi indiciado em 2015 por outro crime. Na ocasião, ele atirou contra a ex-companheira de 29 anos. Ela sobreviveu.

Comentários