Após jovem relatar estupro, investigação conclui que houve falsa comunicação do crime no Oeste

Uma falsa comunicação de estupro foi esclarecida pela Polícia Civil (PC) na cidade de Pinhalzinho, no Oeste de Santa Catarina. De acordo com a PC, os fatos aconteceram na noite de 29 de setembro, quando uma menina de 15 anos chegou ao hospital de Pinhalzinho relatando ter sido vítima de estupro.

Segundo a Polícia Civil, foi comparecido ao local na ocasião para entrevistar a suposta vítima e seus familiares e dar início à investigação. Segundo relato da adolescentes aos policiais, ela se deslocava no final da tarde até a Praça do Lago, quando foi raptada por dois homens que dirigiam um carro preto. Ainda segundo ela, esses homens a levaram para um local onde ficaram sozinhos e a estupraram.

Após os relatos a equipe de investigação de Pinhalzinho passou a realizar as investigações para esclarecer o ocorrido e identificar os supostos agressores. De acordo com os investigadores, os elementos coletados demonstraram que não houve crime. Da análise de imagens de videomonitoramento e de dados, além de ouvirem testemunhas, e também dos exames periciais realizados e demais medidas adotadas, ficou esclarecido que a menina havia mentido sobre o ocorrido.

A adolecente foi novamente intimada na tarde de quinta-feira (16), e compareceu para prestar depoimentos na companhia de sua mãe. De acordo com a PC, foram apresentadas as provas que desmentiam o que a adolescente havia relatado, desta forma ela admitiu ao Delegado e à policial responsável que inventou o estupro, e revelou também os motivos que a levaram a fazer isso.

Ainda de acordo com a PC, ela agora responderá a procedimento policial pela falsa comunicação de crime, bem como será encaminhada ao Conselho Tutelar e ao CREAS para que sua situação seja acompanhada de perto. A motivação da mentira não foi revelada.

Comentários